Notícia publicada segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Era uma noite quente e abafada na velha Joinville, cinco jovens saem de suas casas na região central da cidade e se deslocam para o subúrbio com seus instrumentos para ensaiar.

Pegar ônibus na Joinville flamejante não era fácil para os rapazes, com os instrumentos nas costas ainda por cima? Quase um fardo, mas tudo pra poderem se trancar em uma casa abandonada no manguezal da cidade e ficar lá o fim de semana inteiro, ensaiando com sua banda de metal, curtindo uns filmes de terror, azarando umas menininhas da região e conquistando o desprezo e o ódio de todos que moravam nos derredores da casa.

Em uma dessas aventuras horrorizantes o barulho era tanto que os jovens não perceberam a entrada de um estranho ser na casa, afinal de contas, a casa estava ali abandonada, “quem quiser entrar entre” era o que dizia um dos jovens sempre que os cinco chegavam à casa, mas ninguém da comunidade vizinha queria entrar ou que algum de seus filhos entrasse naquele antro de “perdição, drogas e rock pauleira”.

O ser estranho era um morador de uma casa próxima a cidade, os jovens já conheciam sua fama pelo mesmo ser conhecido como o “fura-buxo”, um assassino que teria ganhado sua liberdade condicional na prisão por bom comportamento e trabalhos comunitários, mas pelo fato dele estar há tempos em liberdade nunca ligaram para a existência do pobre velho.

– Fura-buxo!!!!! – gritou um dos rapazes apavorado quando vira o velho entrando na sala de ensaios com uma faca do tamanho de uma das guitarras.
O primeiro dos rapazes só teve o tempo de virar para trás para sentir a lâmina rasgando sua garganta.
– Um já foi – disse o velho demente
Quando o segundo partiu pra cima já recebeu a facada direto na barriga.
– É por isso que me chamam de Fura-buxo, HAHAHAHAHA. – gritou o velho já com sua sede de sangue falando mais alto.
– Rápido, corre cara!!!! Disse um dos meninos, mas… sem a mínima chance de escapatória foi rapidamente puxado pelos cabelos, decepado e jogado ao chão junto com os outros dois.
– Mais dois cabeludinhos é?? Sabe que eu não lembrava o quão bom era furar o buxo de uns maloqueiros safados?
– Por favor, não nos mate, não nos mate…..
GUSSSSHHHHHHH
E denovo GUSSSSHHHHHH
– Pronto, agora é deixar esses cinco malditos apodrecendo junto com esse barraco velho. – Disse o Fura-buxo após o grotesco derramamento de sangue.

Foi uma das matanças mais brutais da história da comunidade, mas como era tudo do interesse da comunidade, ninguém abriu a boca para relatar nada para a polícia.

A paz reinava no lugar até que em um belo dia, um grupo de góticos decide colocar em prática tudo que aprenderam em sites de magia negra.

Procurando um maior contato com a natureza eles vão até o manguezal. Mal sabiam eles de todo o ocorrido na casa abandonada.

Foi quando no meio do ritual os cinco jovens assassinados voltam a vida, um por um vão levantando e saindo de um dos quartos onde a banda ensaiava, e, guiados pelo cheiro dos humanos atacam a trupe de góticos mordendo-os e devorando sua carne fresca.

Terminado o lanche os cinco voltam para a casa abandonada, carregando consigo os corpos dos góticos. Chegando à casa reconhecem algumas coisas, como os filmes velhos, os cds, lps e o mais importante os instrumentos.

Dessa junção, de metal, carne humana fresca, podridão e rituais zumbis é que nasce a ZOMBIE COOKBOOK, com receitas para carnívoros, carniceiros e canibais!!!

Conheça mais dessa insanidade sonora pelo link: www.myspace.com/zombiecookbook

Contato para shows e merchandise: zombie.cookbook666@gmail.com

Sites Relacionados
www.myspace.com/zombiecookbook
www.metalmedia.com.br/zombiecookbook
www.orkut.com.br/Community?cmm=109316467
hu-hu.facebook.com/pages/Zombie-Cookbook/105866902785753?v=info