Notícia publicada quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Recife Metal Law – Vamos começar falando sobre “Unnatural Display of Art”, que inclusive foi lançado no Japão. No Brasil esse álbum foi lançado pela Voice Music. Além desses dois países, o álbum chegou a ser licenciado para algum outro?
André Meyer – Não, mas a Spiritual Beast (Japão) fez um ótimo trabalho na época; entrevista na Burn, que é uma grande revista, e conseguimos muitos fãs por lá. A Voice Music, aqui no Brasil, tem feito seu trabalho honestamente, enfrentando as dificuldades no mercado como as demais.

Recife Metal Law – Mesmo com todos os anos de carreira e com esse excelente álbum lançado, o Distraught não chegou a fazer uma grande tour no Brasil. O que mais dificulta na hora de realizar uma turnê no nosso país?
André – É sempre a questão dos custos. Existem bandas brasileiras que estão sempre na estrada, mas porque tem condições de bancar suas despesas, o que não é nosso caso.

Recife Metal Law – O mais recente álbum, “The Human Neglicence is Repugnant”, é o quinto da carreira da banda. Cada álbum do Distraught mostra uma evolução natural, mas quem conhece a banda, a cada lançamento seu, sabe que se trata do Distraught. A que se deve isso?
André – Preocupamo-nos muito com isso e acho que como tu falaste, estamos conseguindo estabelecer uma identidade sólida. Isso de tu colocares uma música para tocar sem conhecer o álbum e identificar qual é o artista é realmente muito positivo para nós. Acho que desde o “Behind the Veil” isso vem acontecendo.

Leia a entrevista completa em:
http://www.recifemetallaw.com.br/index.php?link=materias&tipo=entrevistas&id=255

Contatos para shows e Merchandise: distraughtcontact@gmail.com

Sites relacionados:
www.distraught.com.br
www.facebook.com/distraughtband
www.metalmedia.com.br/distraught